fbpx
200428-conservacao-de-alimentos-refrigeracao-ou-congelamento

Técnico em Alimentos: Conservando alimentos: dicas práticas para o dia-a-dia

Após realizar a compra de mês, devemos ao chegar em casa, organizar os alimentos nos devidos lugares, na dispensa e geladeira. Porém, quais alimentos precisam de refrigeração? Devem ser conservados em locais secos ou úmidos? A melhor maneira de conservar todos os alimentos é preservar suas especificidades de armazenamento, respeitando a necessidade de frio, calor e umidade. Desta forma garantimos a vida útil dos alimentos sem que estraguem com facilidade e ainda não prejudiquem a saúde de quem os consome, também garantindo a qualidade e preservação de nutrientes.
O armazenamento incorreto pode acarretar problemas como vômito, diarreia e até intoxicação alimentar. A consequência de ingerir um alimento mal conservado que nos causa mais preocupação é a desidratação, que deve ser tratada com soro caseiro e com ingestão de líquidos diversos. Em geral, a contaminação pode ocorrer por falta de higiene nas mãos e pela exposição ao calor.
A conservação tem como objetivo evitar a deterioração dos alimentos. É de extrema importância manter as características químicas, biológicas e físicas dos mantimentos. A falta de preservação está diretamente ligada à qualidade do produto, uma vez que altera a cor, a textura e também o sabor. Desta forma, uma atenção básica que o consumidor deve ter ao comprar um produto, é atentar-se ao prazo de validade do mesmo. O mais indicado é guardar frutas, verduras e legumes no refrigerador. Algumas frutas demandam ainda mais cuidados, o morango é um exemplo. É indicado deixar frutas e verduras de molho no cloro, depois de lavados, é de grande importância certificar-se que os alimentos sejam guardados bem secos.
Os frios devem ser armazenados envoltos de papel vegetal ou alumínio, ou então em sacos plásticos. Carnes de vaca, frango e peixe devem ser retiradas da embalagem e colocadas em recipientes para serem congelados, garantindo assim o sabor e a textura das mesmas, o recongelamento deve ser evitado. Esse procedimento aumenta muito o risco de intoxicação pela carga microbiana, que é como é chamada a quantidade de microorganismos presentes em um alimento. Quando o alimento é congelado, a baixa temperatura impede que essa carga se multiplique, mas, ao ser descongelado, ele atravessa uma faixa de temperatura, de 15ºC a 50ºC, conhecida como zona de perigo. A razão do nome é que nessa faixa ocorre a proliferação das bactérias presentes no alimento. Se ele permanecer duas horas em temperatura ambiente, elas continuarão se multiplicando: portanto, a comida será recongelada com uma carga microbiana bem maior. Para piorar, ao ser descongelado novamente, ela passará uma segunda vez pela zona de perigo. Tudo isso fará com que a multiplicação de bactérias seja extremamente rápida. Outra maneira que também garante uma boa conservação é manter a carne temperada.
Para os produtos congelados, o ideal é de que sejam consumidos em no máximo 06 meses. Se a carne estiver na geladeira, o indicado é que as vermelhas permaneçam em no máximo 7 dias, peixes devem ser consumidos de 2 a 3 dias e frangos de 3 a 5 dias.
Cuidar da higienização dos alimentos industriais também é importante. Os enlatados, antes de serem abertos para consumo, devem ser lavados com água e sabão.

Por: Alexandre Mazalli – Químico Industrial

Posts relacionados

Abrir conversa
1
Podemos te ajudar?
CENTEA
Inicia aqui uma nova conversa com o setor acadêmico